PBQP

Sistema Nacional de Avaliação Técnica - SINAT

A inovação tecnológica na produção habitacional é um tema que sempre esteve presente nas preocupações de toda a cadeia produtiva da construção civil.

      Para analisar o desempenho de produtos não abrangidos por normas técnicas prescritivas, se faz necessária a harmonização de procedimentos, para assegurar que todos os aspectos relevantes ao comportamento em uso desses novos produtos de construção sejam considerados durante a avaliação.
O Sistema Nacional de Avaliação Técnica - SINAT é uma iniciativa de mobilização da comunidade técnica nacional para possibilitar e dar suporte à operacionalização desse conjunto de procedimentos que devem ser reconhecidos por toda a cadeia produtiva da construção civil para a avaliação desses novos produtos.

      Para a implementação do SINAT no processo de avaliação dessas novas tecnologias é necessário que seus princípios gerais sejam observados. Credibilidade do Sistema, Transparência em todas as ações, Representatividade de toda a cadeia produtiva nas instâncias de decisão,e Imparcialidade e Autoridade na escolha dos técnicos representantes dos diversos setores da cadeia produtiva são alguns desses princípios.É importante destacar que a participaçãodos representantes da cadeia produtiva, nas instâncias deliberativas do SINAT, não pode ser entendida como uma delegação para a defesa de interesses setoriais ou regionais, mas sim como uma parcela de contribuição de cada setor produtivo e de cada região do país para o desenvolvimento tecnológico na produção habitacional.

 

Nossos produtos tem garantia de 10 anos para produtos cromados e 05 anos, para os demais acabamentos, à partir da data de aquisição, comprovada mediante apresentação de nota fiscal.

Tal garantia, não é aplicada nas seguintes condições:

  • Danos sofridos pelo produto em consequência de queda acidental, maus tratos, manuseio inadequado, instalação incorreta e erros de especificação;
  • Danos causados aos acabamentos por limpeza inadequada (produtos químicos, solventes, abrasivos do tipo saponáceo, palha de aço, esponja dupla face);
  • Peças que apresentem desgaste natural pelo uso regular, tais como: vedantes, gaxetas, anéis de vedação, guarnições, cunhas, mecanismos de vedação;
  • Aplicação de peças não originais ou inadequadas ou ainda adaptação de peças adicionais sem autorização prévia do fabricante;
  • Produtos instalados em locais onde a água é considerada não potável ou contenha impurezas ou substâncias estranhas à mesma, que ocasione o mau funcionamento do produto;
  • Objetos estranhos no interior do produto que prejudiquem ou impossibilitem o seu funcionamento;
  • Produtos instalados para USO PÚBLICO, que terão os períodos de garantia reduzidos em 50%.